Crítica: “(Dis)Honesty: The Truth About Lies”

Na Netflix tem todo tipo de coisa, e vários documentários interessantes. Um que assisti recentemente foi (Dis)Honesty: The Truth About Lies [em tradução livre: “(Des)Honestidade: A Verdade Sobre As Mentiras”], de Yael Melamede.

O documentário conta sobre a pesquisa de Dan Ariely, um economista que estuda o comportamento humano. Seu foco maior é na desonestidade, e como e por que o ser humano mente.

No doc, Dan e sua equipe conduzem vários experimentos para catalogar as formas como as pessoas mentem. Ao mesmo tempo, são exibidos vários depoimentos de pessoas que mentiram e sofreram consequências diversas por isso. E é tudo muito impressionante! A narrativa é muito bem desenvolvida, com várias explicações que deixam a gente pensando muito.

Gosto de documentários que me fazem pensar. E enquanto assistia a (Dis)Honesty, pensei muito no “jeitinho brasileiro”. A gente acha que é só aqui que as pessoas mentem e trapaceiam, mas as pesquisas são conduzidas em vários lugares e em todos são constatadas as mentiras. É uma coisa inerente ao ser humano, que a gente faz principalmente se vemos outras pessoas fazendo também. E é triste a gente ver o quanto isso é comum.

Fica a reflexão e a dica do filme!

Beijos, Helena.

Vem aí a série #GIRLBOSS!

Essa semana o Netflix liberou o trailer da série #GIRLBOSS. A série conta a história de Sophia Amoruso, criadora do e-commerce Nasty Gal. Para as fashion girls que estavam carentes de uma série que passa pelo mundo da moda desde o fim de Gossip Girl, acho que vai ser mara! Vem ver:

 

Já falei sobre o livro #GIRLBOSS aqui, e pra quem ainda não conhece vale muito a pena ler! Sophia começou com uma loja no eBay, onde vendia roupas vintage, e depois criou um império com o e-commerce Nasty Gal. Apesar de a Nasty Gal ter aberto falência recentemente, a história de Sophia é incrível e inspiradora.

A série estará disponível no Netflix no dia 21 de abril (acredito que aqui no Brasil também). Já quero assistir, e vocês?

Beijos, Helena.

Conheça o Body Balance

Eu não sou lá muito fã de academia e malhação, mas é impensável pra mim ser sedentária. Por isso esse ano me matriculei numa academia perto de casa e tô conseguindo manter uma rotina de exercícios. Pra minha felicidade eles oferecem vários tipos de aulas lá, que são bem legais. Uma delas é o Body Balance.

O que é

Criado pela academia neo-zelandesa Les Mills (também responsável pelo Body Combat, Body Pump e RPM), o Body Balance é um programa de treinamento que mistura Tai Chi, Pilates e Yoga. Pelo nome (“equilíbrio corporal”, em português) já dá pra perceber mais ou menos a função da aula, que é equilibrar não só o corpo, mas também a mente.

Body Balance é uma aula com música, o que ajuda muito na concentração. São movimentos de força e flexibilidade, além de equilíbrio. O Body Balance também trabalha a respiração, e no final tem um tempo para meditação. E é maravilhoso! Em 30 segundos de aula eu já tava pingando de suor, e fiquei mega dolorida como não ficava desde a época do ballet. Sinal de que trabalhei o corpo!

Benefícios

Os benefícios do treinamento são vários, entre eles: melhora a flexibilidade e a postura, além de fortalecer os músculos; reduz o estresse (assim como qualquer outra atividade física); melhora a respiração; auxilia na perda de peso.

Me senti muito bem depois de fazer a aula de Body Balance! Não é daquele tipo de aula que você fica correndo de um lado pro outro, pelo contrário, é super tranquila e, mesmo com todas as dificuldades, muito gostosa de fazer.

Espero que tenham gostado da dica!

Beijos, Helena.

Les Misérables: o musical

Les Misérables é uma obra criada pelo escritor francês Victor Hugo em 1862. Ela conta a história de Jean Valjean, um ex-prisioneiro que é perseguido por anos pelo policial Javert por ter violado sua liberdade condicional. Em busca de redenção, ele procura ajudar os menos favorecidos e adota Cosette, filha da prostituta Fantine.

Entre tantas adaptações para o cinema (a última delas em 2012 com Hugh Jackman como Valjean), surgiu em 1980 o primeiro musical Les Misérables em Paris. Em 1987 ele estreou na Broadway com músicas em inglês e é um sucesso absoluto. Agora em 2017 o musical estreou em São Paulo sua nova remontagem (a primeira tinha sido em 2001), com músicas em português.

Fui assistir na semana passada e não podia ter amado mais. A primeira música já é super emocionanete, de arrepiar. E continuei me arrepiando durante todo o musical.

Fiquei realmente impressionada com a versão brasileira de Les Misérables. Os atores são ótimos e cantam muito! É bom ver que tem muitos atores brasileiros se especializando em musicais, e que o gênero está cada vez mais consolidado por aqui.

Fiquei muito impressionada também com o cenário e os figurinos. Como sempre assisti a apresentações de ballet, estou acostumada a cenários e figurinos ricos. No musical não poderia ser diferente. Tem cidade, tem barricada, tem casa. Tudo incrível! Sem falar que as músicas são maravilhosas, me emocionei muito. (Dica: no Spotify tem um monte de playlists com várias gravações diferentes pra ouvir!)

Os ingressos estão à venda no Tickets For Fun, que tem uma promoção de meia entrada toda quinta-feira.

Se você tiver a oportunidade de vir a SP e assistir ao musical Les Misérables tenha certeza de que vai valer a pena!