Como seguir tendências

Vamos falar de tendências? A cada temporada vemos várias tendências que vão e vêm. São tantas que ficamos perdidos sem saber o que seguir e o que não seguir. Muitas pessoas, por quererem estar sempre na moda, acabam usando muitas coisas que não combinam com seu estilo e peças com as quais não se sentem confortáveis. Mas como saber qual tendência seguir?

A questão aqui é você saber qual combina mais com o seu estilo, se você gosta do que está na moda e se sente confortável usando tal peça. Se não gosta, é simples: não use! Por exemplo, o verde militar é atualmente uma super tendência. Posso até achar legal em algumas produções, mas em mim não acho tão legal e não combina muito com meu estilo. Então não vou segui-la.

 

militarismo

Há também os casos que você acha uma coisa horrível, depois vai se acostumando até querer usar também. Tipo a mistura de estampas. Quando comecei a ver fashionistas usando blusas de uma estampa e partes de baixo de outras, achei uó. Depois fui acostumando e vi que as produções podem ser super interessantes, se pensadas direitinho. Essa é uma tendência que ainda não testei – ainda acho ousada pro meu estilo -, mas admiro muito.

mix de estampasEnfim, é isso! Você deve contar com o seu bom senso pra saber quais tendências seguir e quais deixar pra depois – ou pra nunca. Não adianta muito você usar algo que não se sente bem só porque está na moda, pode apostar que não vai ficar legal. Nesse caso, gosto, estilo e conforto são as palavrinhas-chave para você saber quais tendências seguir.

Gostou das dicas? Você é do tipo que segue tudo o que vê ou pondera mais sobre as tendências? Comenta aí! 😉

 

Imagens: Pinterest

Status de relacionamento: abusivo

Outro dia uma amiga minha falou sobre uma menina que estava fazendo sucesso no youtube, a Jout Jout. Fui dar uma olhada nos vídeos dela e vi o vídeo abaixo, que ela fala sobre relacionamentos abusivos, e por mais que o tema seja sério, o vídeo é super divertido.

Pra quem não viu, não quer ver ou não pode agora, vou resumir pra vocês. Relacionamento abusivo é quando o seu parceiro – ou até mesmo amigo – abusa de você de alguma forma, não só sexual, e/ou psicológica. É quando o namo te bota pra baixo, contra sua família e amigos, quer olhar seu celular pra ver as mensagens, manda você trocar de roupa porque ele não gostou, faz terrorismo psicológico falando que vai se matar se você terminar… Enfim, isso e mais um monte de coisas. Eu já passei por algumas situações que ela menciona no vídeo, e resolvi escrever esse post pra ajudar a alertar as amigas e amigos sobre esse tipo de relacionamento.

A primeira coisa que geralmente acontece quando você se apaixona e começa um relacionamento é começar a idealizar mil coisas com a pessoa, e idealizar a própria pessoa. Isso é um perigo! Aprendi do pior jeito que a gente tem que evitar ao máximo a idealização, porque depois a gente se dá mal.

O que acontece quando você entra nesse tipo de relacionamento é a sua autoestima cair em queda livre (fiz um post sobre como cuidar dela, leia aqui). A outra pessoa vai estar sempre te botando pra baixo e vai acabar te afastando dos seus amigos e familiares, que vão tentar te ajudar – mas sem sucesso, porque você vai achar que todos estão contra você – até você perceber o problema. Por mais que você ache que nunca vai encontrar alguém que goste tanto de você quanto a outra pessoa (se é que ela gosta mesmo), você encontra. A vida dá voltas e o que é seu está guardado, acredite!

Outra coisa que ela fala no vídeo é quando você não quer terminar por medo de ficar sozinho. ALÔU! Você vai se deixar levar por um relacionamento problemático por não querer ser um forever alone? Vamos pensar um pouco com a cabeça e não com a carência ok? Eu sei bem como é ficar achando que ninguém gosta de você e etc, mas não é verdade e lá no fundo você sabe disso.

E se você acha que não consegue sair sozinho desse relacionamento abusivo, procure a ajuda de alguém em quem você confie, até de um psicólogo se achar necessário. Depois de passar por isso, fui sim fazer terapia e recomendo pra todo mundo. Minha vida melhorou demais! Inclusive meus relacionamentos em geral.

Viu o vídeo? Leu o texto? Se identificou? Então sai fora amiga (o)! Isso só vai te prejudicar e trazer problemas pra sua vida e sua autoestima!

Sobre autoestima: cuide da sua!

Desde pequena eu era muito tímida e minha autoestima era péssima, o que me colocou em situações chatas pela vida. Durante um período fiz terapia, o que me ajudou muito a me libertar da timidez e a me enxergar como eu sou. Antes eu era insegura, fechada, chegava nas festinhas infantis e ficava agarrada nas pernas dos meus pais. Fui crescendo e isso foi mudando, mas só mesmo com a terapia que consegui melhorar. Minha terapeuta falava muito em assertividade, em você saber se posicionar e tomar decisões ao invés de ficar em cima do muro. E essa é uma característica de pessoas que tem uma boa autoestima, que sabem se valorizar e valorizar suas escolhas, mesmo que não estejam certas.

“Eu amo a pessoa que me tornei, porque eu lutei pra me torná-la.”

Nos dias de hoje, com as ditaduras de moda, consumismo, magreza e até a mais recente febre fitness, fica difícil as pessoas – tanto homens quanto mulheres – se aceitarem. Assim, acabam desenvolvendo transtornos alimentares e psicológicos, fazendo mil cirurgias plásticas, etc. Não digo que a gente tem que se aceitar como é e viver assim. Temos que aprender a gostar de nós mesmos e, se não gostarmos de alguma coisa, trabalhamos para mudar – claro que sem excessos.

Ninguém é melhor nem pior do que ninguém, apenas diferente. É difícil não nos compararmos às outras pessoas, mas cada um tem suas qualidades e defeitos, e é importante saber conviver com isso para que a gente aprenda a se gostar. Falei em um post sobre relacionamento da confiança que temos que ter no parceiro para o relacionamento funcionar. Mas essa confiança também se aplica a nós mesmos.

whatsbest

“E agora eu vou fazer o que é melhor para mim.”

Ainda, a autoestima melhora quando temos não só uma atitude positiva em relação à nós mesmos, mas também em relação às nossas vidas. Pessimismo não leva ninguém a lugar nenhum! É importante parar e refletir se você tem uma atitude que considera positiva, como acordar de manhã e pensar que é um novo dia de possibilidades diversas, olhar o lado positivo das coisas e evitar julgar as coisas pelas aparências. Isso pode melhorar e muito vários aspectos na sua vida, inclusive sua autoestima.  

Deixo você com esse calendário de 12 dias com passos para gostar de si mesmo. 😉

loveyourself1: Sorria no espelho; 2: Sorria para os outros; 3: Elogie a si mesmo; 4: Escreva algo legal sobre você; 5: Faça algo que o deixe feliz; 6: Tenha orgulho de si mesmo; 7: Se recompense por ser fantástico; 8: Não se compare com os outros; 9: Elogie outros; 10: Se dê um tapinha nas costas; 11: Crie e recite um mantra; 12: Desligue seu celular. 

Fotos: Pinterest

Relacionamento à distância

Namoro à distância há dois anos (hoje! yay! Parabéns amor!), e pensando sobre isso resolvi escrever sobre o assunto. Esse é um texto um pouco diferente do que publico normalmente, é uma reflexão sobre o que aprendi e algumas dicas e motivos pra você não desistir de um amor por causa da distância:

1) Confiança é a base de tudo. Se você confia no seu namorado(a) e vice-versa, não tem por que dar errado. Haverá dias que você vai querer sair com seus amigos aqui, e ele(a) com os amigos dele(a) lá. E aí? Ninguém sai com medo de um ficar com outras pessoas? Com confiança você não tem esse medo (ou ele é reduzido haha), e você sabe que um tempo para si próprio é essencial em qualquer relacionamento.

2) Comunicação é a chave de todo relacionamento. Com a internet e as redes sociais, tudo fica mais fácil, dá pra se falar várias vezes durante o dia. O bom de um relacionamento à distância é que você não tem o que fazer a não ser conversar com seu parceiro, e isso acaba criando um laço bem maior do que se tivesse um relacionamento normal.

3) A dica aqui é organizar um esquema para se verem com a maior frequência possível. Eu e meu namorado tentamos nos ver todo fim de semana, ou quase. No máximo de duas em duas semanas – mais que isso a saudade bate legal!

4) Deixe o ciúme um pouco de lado. Não tem como você ser ciumento(a) e possessivo(a) com um(a) namorado(a) morando em outra cidade ou outro país! Você vai sofrer muito e vai fazer o outro sofrer também. Então que tal diminuir o sofrimento que já existe com a distância e se controlar um pouco? 😉

5) O reencontro é sempre melhor. Quando ficamos longe do nosso amor por muito tempo bate uma saudade e o reencontro é a melhor coisa né? Pois bem, em um relacionamento a distância você tem isso sempre. Não estou dizendo que isso é melhor que ter o(a) amado(a) pertinho o tempo todo, mas tem lá sua vantagem!

IMG_4837

Há dois anos meu namoro começou no Canadá, passou para Brasil-Canadá quando voltei em maio de 2013, e em 2014 para Niterói-Juiz de Fora!

Atualmente várias pessoas tem namorado a distância, bem mais que antes, pela facilidade da internet e do transporte. O que eu quero dizer com esse post é que vale a pena se jogar em um relacionamento desse tipo porque há várias formas de dar certo, é só vocês encontrarem as suas! <3