Diário de viagem da Serra Gaúcha: Restaurantes

A melhor parte do diário de viagem chegou: os restaurantes! <Pra ver os outros clica aqui.>

Gramado e a região da Serra Gaúcha têm ótimos restaurantes, mas aviso logo que os preços não são tão agradáveis! Nesse post vou comentar os que fui e gostei e os que não recomendo.

Restaurante do Hotel Ritta Höppner – Gramado

Gente, melhor restaurante que fui na viagem! Apenas MARA. O restaurante do Hotel Ritta Höppner é atualmente o melhor restaurante da cidade no Trip Advisor e foi lá que achamos ele. Fomos almoçar em um dia e no outro dia fomos no chá da tarde no estilo inglês (delícia). Ele é um restaurante de culinária alemã, mas como já estávamos cheios de comer muito todos os dias não optamos pelo menu alemão, onde eram servidos vários pratos em seguida. No almoço pedi a Salada Otto, com queijo brie à milanesa, e depois pedi o creme de batata – tudo maravilhoso. Fernando pediu a entrada Salmão Gravlax e adorou também. Pra acompanhar tomamos uma cerveja Edelbrau, que é fabricada na cidade vizinha.

14-07-16 (19)

Salada Otto

14-07-16 (33)

Creme de batatas

Lá no dia do almoço ficamos sabendo que o restaurante também tinha um chá da tarde, e eu como adoro um lanchinho fiquei doida pra ir. haha O chá é servido no estilo inglês, com esse suporte para os pratinhos super fofo:

16-07-16 (7)

A comida e a bebida são à vontade, e são várias opções de bebidas! Fiquei apenas apaixonada. <3  Fora o ambiente que é delicioso e aconchegante! Selo Helena de qualidade!

Bistrô Ambrosia – Gramado

No segundo dia na cidade passamos por um bistrô fofinho com peles em cima das cadeiras ao lado da Matriz de São Pedro. Na hora do jantar resolvemos ir lá porque parecia super aconchegante. E não é que era? E ainda por cima tão delicioso que fomos lá mais de uma vez. O atendimento é excelente e o ambiente é uma delícia. E o Ambrosia ainda é um bistrô familiar: o marido é o chef e a esposa atende os clientes – e é um amor de pessoa. Nossa pedida foi o vinho da casa e a pizza Zaccaria, surpreendente (tem um ovo no meio) e gostosa! Ainda provamos o apfelstrudel (torta de maçã alemã) e o mil folhas. Só de lembrar dá água na boca!

DiPaolo – Gramado

O restaurante Casa DiPaolo é uma galetteria italiana famosa na região. A gente paga por pessoa e vem comida à vontade – não é baratinho não. Tem massa, salada, polenta frita e, é claro, o galeto. Bem gostoso, recomendo!

Vue de la vallée – Gramado

O Vue de la Vallée é um rodízio de fondue – muito comum na cidade. Também é no esquema paga por pessoa e comida à vontade – e quanta comida! No rodízio comemos o de queijo, carne e chocolate. Pena que no final eu já estava tão cheia que quase não comi o de chocolate, estava tudo uma delícia!

Santê Bistrô  – Canela

Esse bistrô foi a nossa salvação da tarde de passeio em Canela, porque todos os outros restaurantes já estavam fechados quando voltamos do Parque do Caracol. Ele é bem gostoso, a decoração é super legal! Fiquei com vontade de provar os cafés, tinham várias opções no menu. Pedi um macarrão vegetariano – de espinafre – com legumes, que tava bem gostoso! É uma boa opção na cidade, principalmente depois das 15h.

Mamma Gema Trattoria – Vale dos Vinhedos

No Vale dos Vinhedos fomos almoçar no Mamma Gema, uma delícia. Como todo restaurante italiano, lá tem massas, risotos, carnes e vinhos. Não é muito caro, o prato servia duas pessoas. Pedimos uma massa que não lembro mais o nome e não tem no site, mas era super fresca com tomates, manjericão e ervas.

13-07-16 (88)

Pub Edelbrau – Nova Petrópolis

No nosso último dia fomos encontrar uns amigos em Nova Petrópolis, a 30 min de Gramado. Eles nos chamaram pra ir no pub da cervejaria Edelbrau, que tinha acabado de ser inaugurado. A cerveja é bem gostosa e como no mesmo dia tínhamos ido no chá da tarde do Ritta Höppner, ficamos só na batatinha frita. Além de pub lá também funciona como restaurante, fiquei com vontade de voltar!

Não recomendo

Infelizmente a gente nem sempre a gente acerta na escolha do restaurante né. Nos decepcionamos bastante com a Churrascaria Garfo e Bombacha, em Canela, e com o Café colonial Bella Vista. A churrascaria tem um “show típico” – ok -, mas o preço é absurdo, e a comida tava fria. Pra mim então que nem como carne vermelha não valeu nem um pouco à pena. Além disso o vinho da casa é muito ruim. Já o Bella Vista é um café colonial – tipo chá da tarde – bem tradicional na região, mas a comida é bem fraca. Também é no estilo buffet – caríssimo, mais de 70 reais por pessoa – e tudo é muito massudo e não muito gostoso.

E é isso gente! Espero que tenham gostado da série de posts sobre a Serra Gaúcha, e se quiserem mais dicas só falar!

Beijos, Helena.

Diário de viagem da Serra Gaúcha: Bento Gonçalves e Vale dos Vinhedos

O Rio Grande do Sul é o grande produtor de vinhos do Brasil. Há diversas vinícolas familiares e outras mais modernas espalhadas pelas cidades, entre elas Bento Gonçalves. A cidade em si não é grande e nem tem muito o que fazer, mas tem dois passeios bem legais: andar de Maria Fumaça e visitar as vinícolas no Vale dos Vinhedos. Fizemos os dois passeios em dias diferentes porque nos confundimos com os horários da Maria Fumaça e fizemos o passeio de tarde ao invés de pela manhã. Foi até bom porque no dia choveu muito e não iríamos aproveitar os vinhedos. Agora chega de falação e vamos às dicas!

Maria Fumaça

11-07-16 (5)

A Maria Fumaça sai de Bento e vai até Carlos Barbosa, passando pela estação de Garibaldi. São duas opções de acordo com os horários: ou você vai de trem direto de Bento e pega um ônibus (incluído no preço) em Carlos Barbosa, ou pega o ônibus em Bento e volta de trem. Como rolou a confusão dos horários (prestem bastante atenção nisso quando forem!) fomos de Maria Fumaça até Carlos Barbosa e voltamos de ônibus. O passeio é ótimo! Cada hora entra um grupo no vagão dançando e cantando músicas italianas e gaúchas. Muito divertido! E quando pegamos o ingresso na bilheteria recebemos uma mini taça de plástico para as degustações, ou seja, passeio animado e regado a muito vinho tchê.

11-07-16 (6)

Também é incluído no passeio uma visita ao museu Epopeia Italiana, que conta como foi a viagem dos italianos para o Rio Grande do Sul em busca de melhores condições de vida. Super interessante! E também tem degustação haha.

Dica: não façam o passeio em uma segunda-feira! Nada abre na cidade, acabamos indo almoçar no Subway porque os restaurantes estavam fechados, uó. A chuva atrapalhou um pouco, mas como ficamos no trem ou nas estações, não foi tão ruim.

Vale dos Vinhedos

Gente, o Vale dos Vinhedos é mágico! Fomos lá num dia ensolarado e foi maravilhoso o passeio. Primeiro visitamos a vinícola Miolo. A visita guiada custa 25 reais por pessoa e tem 5 reais revertidos para compras depois. Lá o guia explica tudo sobre a vinícola, processo de fabricação do vinho e tudo o mais, além da degustação dos vinhos produzidos por ela.

Depois do almoço foi a vez de visitar a vinícola Don Laurindo, bem familiar, e Almaúnica, onde também degustamos vinhos deliciosos. Na Casa Valduga, que é na verdade um Complexo de Enoturismo com hotéis e restaurantes, fizemos a visita guiada na vinícola, que inclui uma taça de cristal. Acho que seria ótimo ficar hospedada lá só pra tomar vinho todos os dias! Haha

13-07-16 (6)

Degustação ao final da visita da Miolo

13-07-16 (33)

13-07-16 (28)

13-07-16 (29)

13-07-16 (39)

Casa Valduga

13-07-16 (46)

Esse é o último post do diário de viagem, se tiverem alguma dúvida só falar. E aguardem o post dos restaurantes, vai dar água na boca!

Beijos, Helena.

Diário de viagem da Serra Gaúcha: os cânions de Cambará do Sul

Cambará do Sul é uma pequena cidade na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina. As atrações famosas por lá são os cânions, e fomos conhecer dois deles no nosso passeio. Confesso que antes da novela das 6 da Globo Além do Tempo, que se passava no Sul, não sabia que haviam cânions no Brasil, e fiquei abismada com o que vi. É muita beleza em um lugar só!

Cânion Fortaleza

O Cânion Fortaleza fica no Parque Nacional da Serra Geral, e a entrada no parque é gratuita. Existem algumas trilhas, mas só fomos mesmo na beirada do cânion. A estrada é bem tranquila até chegar em uma parte de chão, que deixa a viagem um pouco lenta. Em determinado momento tem uma guarita, onde um funcionário do parque dá as informações básicas sobre ele. E a partir daí são mais 4km de estrada de chão até chegar ao estacionamento próximo ao cânion. Depois que paramos o carro são 200m até a beirada dele, e pasmem com a beleza:




15-07-16 (70)

Incrível né? Fiquei muito impressionada com esse lugar! 15-07-16 (74)

Lá venta muito, então me agasalhei bem! 15-07-16 (76)

15-07-16 (81)

15-07-16 (85)

15-07-16 (104)

Cânion Itaimbezinho

O Itaimbezinho fica no Parque Nacional de Aparados da Serra, também em Cambará. Depois de 18km de estrada de chão a gente chega em uma guarita e tem que pagar o ingresso (por adulto e por veículo). Dali é só alegria com o asfalto haha . Depois de estacionar caminhamos até um centro de visitantes com as informações sobre o parque. Dali a gente pega a trilha do Cotovelo por 3km – tranquilíssima, é mais um caminho que uma trilha – até a borda do cânion. O parque também tem outras trilhas além dessa do Cotovelo. O Itaimbezinho também é lindo, mas fiquei mais impressionada com o Fortaleza.

O horário de visitação do Parque Nacional de Aparados da Serra (Cânion Itaimbezinho) é das 8h às 17h (permanência até 18h), de 3ª a domingo (abrindo nas 2ªs de feriados nacionais, Carnaval, Natal e Ano Novo). Para a Trilha do Cotovelo é necessário adentrá-la antes das 15h e a Trilha do Rio do Boi, antes das 13h.

15-07-16 (128)

15-07-16 (131)

15-07-16 (132)

15-07-16 (145)

15-07-16 (148)

15-07-16 (168)

15-07-16 (4)

Me contem o que acharam! Esses foram os lugares mais lindos que já vi na vida até agora. É tudo tão grandioso, tão imenso que a gente se sente pequeno diante do mundo. Sem palavras.

Beijo, Helena.

Diário de viagem da Serra Gaúcha: Canela

Continuando o Diário de Viagem da Serra Gaúcha, hoje vou falar de Canela. Pra ver as dicas de Gramado cliquem aqui.

Canela é coladinha em Gramado – as duas cidades compartilham a mesma avenida -, e tem lugares lindos pra ir, entre eles o Parque Estadual do Caracol. A entrada é paga (18 reais para adultos, com estacionamento) e o parque conta com trilhas – bem tranquilas, calçadas – pontos de contemplação e a linda Cascata do Caracol. Demos muita sorte porque no dia anterior tinha chovido muito e a cascata tava bem cheia.

12-07-16 (39)

12-07-16 (79)

Lá tem também os Bondinhos Aéreos Parques da Serra – um pouco depois da entrada do Parque do Caracol. O ingresso para o bondinho custa 39 reais e ele tem duas paradas no percurso. Primeiro ele sobe e passeamos por um espaço sobre os animais e plantas nativas. Depois ele desce e vamos para um mirante pra admirar a Cascata do Caracol. Vale à pena ir! Olhem só as fotos:


12-07-16 (38)

12-07-16 (64)

Look do passeio: botas Dakota (comprei lá e só usei ela, haha!), legging, camisa jeans e gola Garage, jaqueta Topshop, e bolsa Tommy Hilfiger.

12-07-16 (47)

12-07-16 (50)
12-07-16 (98)

12-07-16 (158)

Na trilha que segue o Arroio Caracol

O centro de Canela também é bem gracinha – apesar de eu ter gostado mais de Gramado. Olhem que diferente a Catedral de Pedra:

12-07-16 (34)

Dica: façam o passeio dos parques cedo pra não perder a hora do almoço! Depois de 3h da tarde os restaurantes fecham e aí você fica com fome. Demos a sorte de encontrar um bistrô aberto pra podermos almoçar, que vou falar depois no post de restaurantes.

 Quem aí já foi a Canela? Me contem o que acharam! E podem esperar que mais dicas virão!

Beijocas, Helena.