Crítica: “A Origem dos Guardiões”

Férias = Sessão da Tarde né! haha No meu período de recesso assisti ao filme A Origem dos Guardiões (Rise of the Guardians, 2012), uma animação sobre os guardiões das crianças do mundo: Papai Noel, Coelho da Páscoa, Fada do Dente, Sandman (cuida dos sonhos) e Jack Frost (responsável pelo inverno e pela neve).

A história é simples: o Bicho Papão quer dominar o mundo e os guardiões se unem pra derrotá-lo. No meio dessa aventura tem o mistério da origem de Jack Frost, que não se lembra de onde veio e por que se tornou um guardião. Ainda, ele não é visto por ninguém, porque as crianças não acreditam nele. O roteiro se desenrola facilmente, com muita sintonia entre os personagens, momentos tristes e felizes.

Os personagens dos mitos são mais modernos do que poderíamos imaginar. Por exemplo, o Papai Noel (chamado de Norte) é tatuado, o Coelho da Páscoa não tem nada de fofinho e a Fada do Dente parece mais um beija-flor. A trilha sonora é ótima, super envolvente. E a animação em si é muito bem feita (é uma produção da Dream Works) – gostei principalmente das cores.

No fim, A Origem dos Guardiões traz a mensagem de acreditar. Acho que combina bastante com o momento que estamos vivendo, não é?

Beijos, Helena.

Retrospectiva 2016: filmes

Mais uma retrospectiva 2016! A de tendências de moda você confere aqui, e hoje trouxe as críticas de filmes do ano. Vai ter que ser uma lista com links, porque são muitos! haha Aproveitem pra anotar alguns filmes pra ver nas férias!

Especial Oscar 2016

No início do ano fiz uma tag especial com críticas dos filmes que concorriam ao Oscar 2016, que são esses abaixo:

Os Oito Odiados

Perdido em Marte

O Regresso

O Quarto de Jack

 

#5filmes

Nessa tag faço a seleção de 5 filmes com um tema em comum!

#5filmes do diretor Woody Allen

#5filmes do diretor David Fincher

 

Outros filmes

O Jogo da Imitação

Sob o Mesmo Céu

Iris

O Caçador e a Rainha do Gelo

Uma Garrafa no Mar de Gaza

O Grande Lebowski

Um Senhor Estagiário

Sex and the City

Deadpool

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Espero que gostem das indicações! Beijos!

O vestido amarelo da Bela em “A Bela e a Fera”!

Os figurinos são pra mim uma das partes mais encantadoras de um filme, ainda mais das princesas da Disney! Já falei sobre o vestido de noiva da Cinderela quando o live action foi lançado, e hoje trago algumas curiosidades sobre o vestido da Bela.

O vestido amarelo de baile da Bela na animação é um dos figurinos mais icônicos da Disney. Pra trazer essa peça pra versão live action, foi preciso muito estudo de tecidos por parte de Jacqueline Durran, a figurinista do filme.

Foram muitos testes de tons de amarelo e de como o tecido aparecia na câmera – acreditem, é super importante saber isso! Na versão que iremos ver na tela o vestido é feito em organza de seda, com várias camadas de tecido na saia pra dar a leveza necessária na dança. Uma coisa importante pra dizer é que não há corpete, já que a Bela é uma personagem bem ativa e precisa de mobilidade. Esse foi um pedido da própria Emma Watson, que vai viver a princesa no filme.

O vestido tem também alguns detalhes dourados pintados nas barras para parecer com o chão do salão de baile, tornando tudo mais mágico. E a Bela ainda vai usar um acessório com penas na cabeça, bem delicado!

Todos esses detalhes foram contados à revista Entertainment Weekly no mês passado, e essa matéria do vestido você confere aqui (em inglês).

Crítica: “Animais Fantásticos e Onde Habitam”

Animais Fantásticos e Onde Habitam é um spin-off prequel de HP, ou seja, uma história que surgiu a partir do mundo de Harry Potter, mas que antecede a trama do bruxinho mais amado do mundo (cerca de 70 anos, na década de 1920). É muita emoção ver o logo da Warner com a música tema de Harry Potter (Hedwig’s Theme, criada por John Williams) depois de tantos anos! Voltar ao mundo mágico criado por J.K. Rowling é incrível e indescritível.

No filme – que não teve livro pra gente comparar, só o roteiro publicado escrito pela própria J.K. -, acompanhamos o desenrolar da história de Newt Scamander (Eddie Redmayne), bruxo que estuda os animais mágicos e que escreveu o livro homônimo adotado em Hogwarts. Scamander desembarca em Nova York com uma mala cheia de criaturas mágicas, e por uma confusão de malas com o trouxa (não-maj, na nomenclatura americana) Jacob Kowalski, alguns acabam escapando. A partir daí ele tem que recuperar seus bichinhos, mas acaba se envolvendo em uma aventura maior. Ao mesmo tempo J.K. fala da intolerância e do preconceito, tanto em relação às pessoas como em relação aos animais mágicos.

fantastic-beasts-and-where-to-find-them-banner

Animais Fantásticos foi dirigido novamente por David Yates, diretor dos últimos 4 filmes da franquia HP, que consegue transpor muito bem o mundo de J.K. na tela. O elenco conta com nomes como Colin Farrell – muito bem como o misterioso Mr. Graves, fiquei até surpresa -, Dan Fogler como Jacob Kowalski, Ezra Miller como Credence, um menino um tanto diferente; Johnny Depp como Grindelwald; Katherine Waterston como Tina, uma ex-auror que tenta provar sua competência; Alison Sudol como Queeniee, irmã de Tina e uma bruxa Legilimente (ou seja, ela pode ler mentes); e Samantha Morton como Mary Lou, uma não-maj fanática que acredita que bruxas existem.

O filme é leve e ao mesmo tempo soturno, revelando um pouco mais sobre a história de Grindelwald, bruxo das trevas cuja história conhecemos no último Harry Potter, e sobre os chamados Obscurus. As criaturas mágicas são fascinantes – ótimo trabalho da equipe de efeitos especiais. As sequências leves e cômicas em sua maioria envolvem Kowalski, que fica encantado com toda a magia que vive e vê ao lado de Scamander.

Super recomendo, principalmente para os fãs de HP que estão com saudades da magia.